domingo, 26 de julho de 2015

Conhecendo, entendendo, perdoando e emagrecendo

Quando se trata dos outros, parece que por enxergar de fora temos uma visão a distância que permite analisarmos todos os lados e entendermos melhor, e perdoarmos com  mais facilidade. Ele fez aquilo porque foi criado de tal maneira. Ele é assim porque o pai o maltratava. E etc etc etc.

Eu sou assim porque eu sou assim


Mas quando se trata de nós mesmas e do nosso corpo, não temos a mesma indulgência. Atribuímos os nossos descontroles alimentares à preguiça, achamos que temos um desvio de caráter, nos sentimos mal por cometer o humano, precioso e necessário ato de comer. Principalmente nós, mulheres. Por que?

Nesse post aqui (clique) falei um pouco sobre as nossas características que permaneceram, que o nosso corpo foi feito para armazenar energia para nos proteger do frio e para corrermos dos predadores, e que como não precisamos mais usar nosso armazenamento para essas coisas, acabamos acumulando em forma de gordura.

Mas temos outros fatores ainda que contribuem para nos desequilibrar. a ansiedade nossa de cada dia.(leia aqui  sobre ansiedade)

Uma vez eu li que nós temos, digamos, uma cota diária de paciência.  A noite cai, nós dormimos e amanhecemos renovadas, o cansaço vai embora e a nossa "cota" está recheada, pronta para usarmos.

Mas, o que acontece é que devido novamente às modernidades como luz elétrica, internet, televisão e etc, nosso sono já não é completo e restaurador. E aí somam-se as preocupações que habitam nossos pensamentos,os ruídos noturnos de trânsito etc...bom o nosso sono restaurador fica prejudicado, e a nossa cota de paciência amanhece não tão recheada, mas, enfim...

De cabelo em pé porque não conseguir ir ao cabeleireiro

Aí acordamos e vamos trabalhar, ou à escola, continuamos gastando nossa paciência com os barulhos do trânsito, com o próprio trânsito, aí gastamos mais da nossa cota em nossas atividades, por mais prazerosas que elas sejam (se você odiar seu trabalho, imagine sua cota acabando mais rapidamente), aí retornamos para casa com  mais trânsito, etc, e temos que providenciar jantar, limpeza, ou ir à faculdade etc...

A nossa cota de paciência foi sendo gasta, e ficamos na reserva, que utilizamos para permanecer racionais e não socar as pessoas irritantes, jogar a louça no chão e gritar loucamente. 

Mas na hora em que aparecem coisas comíveis, nós simplesmente comemos. Você entende, não porque somos umas descontroladas, não porque não temos vergonha na cara ou nada disso.

Comemos sem pensar, sem prazer, sem critério, porque não temos nenhum tipo de força para raciocinar, atendemos apenas ao nosso instinto pré-histórico de sobrevivência.

"Vou comer esse bolo inteiro porque vou ter que limpar a bagunça da festa depois..."

E se acontece um acidente, um imprevisto, ou uma fatalidade então...aí nos descontrolamos geral...ao invés de sermos fontes de ajuda nos tornamos mais um problema com nossa histeria...


E como mudar isso? Como aumentar ou não gastar tanto a nossa cota diária de paciência?

Quando você percebe o problema, consegue achar a solução. Evidentemente combatendo a ansiedade, fazendo atividade física que libera a adrenalina acumulada, dormindo melhor, trabalhando com prazer e próximo à sua residência, etc, você naturalmente já está mais equilibrada.

É difícil chegar a isso? Sim. É impossível? Claro que não.

Todos nós temos problemas, sabe? De maior ou menor nível. 

Comer tem que ser bom, prazeroso. Você vai comer uma coisa que você quer e gosta, vai sentir o sabor e a textura, sem pressa, mastigar devagar e ficar saciada. É diferente de comer qualquer porcaria engolindo rápido sem perceber porque está nervosa ou ansiosa.


Enfrente suas dificuldades de frente. Tente resolver as coisas que acabam com a sua paciência. Promova o aumento da sua cota, seja feliz do jeito que der, sem se preocupar por antecipação.

Atividades físicas que te agradem, como dança do ventre, lutas marciais, corrida, sei lá, contribuem muito! Não precisa ir à academia fazer musculação odiando.

Talvez eu acabe com a cota de paciência dos outros cantando, mas a minha aumenta demais

Ou um curso de música, de tricô, de cinema, de história da arte. Há cursos grátis e próximos à sua casa, é só procurar. Não coloque obstáculos onde eles não existem, me ajude a te ajudar hahaha!

Hoje o arroz queimou, vou fazer uma selfie

Cuide-se, perdoe-se e seja feliz. O que não está em seu controle, não tem jeito. Mas se entender, se ajudar, ter uma vida equilibrada apesar dos problemas, transformar a alimentação em prazer e não em válvula de escape está em suas mãos.

Acorda, seja sua melhor amiga, e desfrute do lado bom da vida. Beijinhos.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Resistindo às tentações - Onde vivem os monstros...

Mesmo com a força involuntária que eu adquiri durante a reeducação alimentar, que eu contei aqui, eu sou humana e as tentações aparecem a cada minuto.


Do the evolution, baby

Como eu me conheço e estou amando as conquistas, ao invés de esperar sentada ter um ataque de gordice e jogar meu esforço ladeira abaixo, eu utilizo outra estratégia. Eu me presenteio todos os dias com coisas boas, porém saudáveis, que enganam e saciam.


"Analisando essa cadeia hereditária, quero me livrar dessa situação precária..."

Vou explicar.

Não vou enganar vocês, ninguém consegue ficar para sempre comendo pedacinhos de cenoura crua. O próprio cérebro humano é programado para querer coisas altamente calóricas, para sobreviver às baixas temperaturas e ter força para fugir de predadores. A humanidade evoluiu, mas nosso cérebro só se contenta assim, mesmo que estejamos quentinhas no sofá (ou principalmente quando estamos quentinhas no sofá hahaha).


"Assistindo pronunciamento político e comendo cenoura cortadinha. No frio e sem coberta, para combinar."

Sabia que por isso sentimos mais fome no inverno? E que por isso nosso cérebro reconhece como boas as gordices. E ninguém (que eu saiba) fica sonhando com acelga e similares...

É, colega. Aí está a chave. É ai que vive o seu monstro, dentro da sua cabeça. Mesmo você querendo e lutando para emagrecer, não consegue resistir às tentações...o inimigo é íntimo e onipresente, indissociável de você. A gente come mais no frio e quando estamos nervosos e estressados...o nosso corpo acha que estamos fugindo de predadores e nós o suprimos...e não gastamos o que consumimos correndo na mata...daí a obesidade...



E como faz? Obviamente eu não sou autoridade no assunto, sou apenas uma gordinha comilona que achou um meio de saciar seus instintos primais de forma mais regrada. Se você quiser saber sobre reeducação alimentar, procure uma nutricionista ou nutróloga, ela não vai mandar você comer só alface, vai montar um cardápio de acordo com seus gostos, real necessidade e realidade.

Bom, vamos lá.

Antes que a gordice me ataque, eu já a ataco logo pela manhã. Tomo todos os dias uma xícara de capuccino. Sim, com leite desnatado e adoçante, muita canela em pó...isso, NO MEU CASO, já sacia alguma eventual vontade de doces. Com banana cozida no microondas acompanhando, vira um super doce do bem. ÓBVIO, é tudo sem açúcar, chantilly ou sei lá mais o que. Mas, NO MEU CASO, é muito eficiente. Claro que se eu tomasse água com um pedaço de alface seriam bem menos calorias. Mas depois dessa refeição eu estou protegida das tentações, com a água com alface não.





Em lanches da tarde, eu às vezes repito esse combo. A banana pode ser substituída por maçã, ou batata doce. Adoro e fico saciada.

Sobremesa: Os outros comendo e você com cara de conteúdo. Não se sinta coitada, amiga. Eu sempre tenho passas, ameixas secas sem caroços, frutas naturalmente doces, iogurte light, gelatina. Dá para ser feliz e variar, tipo com uma receita de mousse light com gelatina e iogurte light, e frutas. 




Snacks e salgadinhos (Elma Chips, coxinhas, e etc): Esses ninguém deveria ingerir, mas são onipresentes e mesmo sem gostar, muitos comem. Você lembra, por causa do instinto de sobrevivência que eu falei acima. E do glutamato monossódico, claro.

Como eu combato?
 Eu como pipoca. Sim, pipoca. Não de microondas. Sem manteiga, claro. Faço normalmente, de panela, com um pouquinho de óleo. É um snack do bem, tem fibras, é gostoso, dá para variar os temperos sem aumentar as calorias. E o Dr. Oz falou que é bom, e eu confio nele. Julguem-me.




Fora isso, sempre tenho ao meu dispor algumas barrinhas light, não dá para viver disso, nem devemos consumir muito, mas obviamente é melhor do que cair de cara em um doce muito calórico que nem estávamos assim com tanta vontade, mas por falta de opção.

Muitos vem me dizer: Ahhhh, mas pipoca é muito calórica! Manga engorda! Capuccino engorda! Batata doce é calórica! Passas e ameixas secas engordam!


Engordei de tanto comer passas...só que não...

Ok, ok. Não sou nutricionista, não conto calorias. Só te digo que essas opções são mais saudáveis para você ter qualidade de vida, melhor calorias vindas de ameixa do que um bolo.

E quando você vê uma pessoa obesa, você pensa assim: Nossa, deve ter comido muitas mangas/ameixas pretas ? Bom, acho que não. E eu emagreci fazendo isso, as opções é que são nocivas.


A chave é essa, previna-se. Antes das tentações surgirem, esteja preparada.